A qual resolução de tela um filme antigo é equivalente?

Os filmes que nossos pais e avós assistiam não eram em mídia digital, mas em mídia analógica, como filme, que pouco a pouco vão se degradando com o tempo, o que exige a sua conversão. Qual é o custo para converter bobinas de 8 mm, 16 mm, 35 mm ou até mesmo com capacidade maior? A que resolução os filmes antigos são equivalentes? Se você quer saber, então continue lendo.

Tradicionalmente, o cinema era gravado em formato de filme, são bobinas que armazenam em cada seção dele os quadros do filme que foi projetado em alta velocidade nas salas de cinema. Durante anos, os usuários domésticos usaram câmeras com fitas de 8 mm, enquanto no cinema assistiam a filmes gravados em 16, 35 e até em alguns casos até 50 mm. Porém, tendemos a pensar que os filmes de antigamente são gravados em resolução inferior, justamente por serem mais antigos. É por isso que decidimos falar sobre um assunto fora do comum no HardZone, mas que tem muito a ver com a evolução do hardware.

Qual resolução de tela é equivalente a um filme antigo

Do filme aos pixels, é assim que os filmes antigos são convertidos em digital?

A digitalização de filmes antigos tornou-se uma obrigação para os distribuidores a partir do momento em que os meios de armazenamento de dados e de reprodução de vídeo digital o permitiram. Principalmente pelo fato do filme degradar com o tempo e acabar perdendo a cor original e a bobina pode até se perder completamente com o tempo. Agora, o processo não é tão simples quanto parece e tem seus problemas associados.

O conceito de linhas pares por mm

Um quadro de filme de 35 mm tem 36 mm de largura e 24 mm de altura, ou seja, 864 mm 2 ao todo, mas precisamos capturar a diferença de pigmentos no filme. Portanto, não podemos fazer a associação de que cada milímetro equivale a um pixel, pois não teríamos informações suficientes, mas precisamos aumentar o tamanho de cada um dos quadros o máximo possível para obter todas as informações possíveis.

filme

Bem, no filme a resolução não é contada por pixels, mas pelo que chamamos de linhas pares por milímetro. Ou seja, o número de linhas pretas e brancas que podem ser distinguidas, seja a olho nu ou por meio de algum tipo de sensor óptico. Assim, no final, cada uma das linhas pode ser identificada como um par de pixels. O que nos ajudará na digitalização do quadro. Porém, na época existiam vários tipos de resolução nesse sentido e no final foi necessário criar uma resolução padrão para conversão para digital.

Assim, um filme de 35 mm pelo padrão atual converte cada quadro em 4096 x 2160 pixels, um filme de 16 mm em 2048 x 1080 pixels. Observe que essas resoluções são muito semelhantes às resoluções da televisão, mas não são exatamente iguais. . A propósito, hoje temos diretores de cinema como Quentin Tarantino ou Cristofer Nolan que gravam com filme de 70mm, o que se traduz em uma resolução equivalente a 8K ao digitalizar.

Quanto custa um filme em megabytes?

Digitalizar um filme significa ter que armazená-lo em um dispositivo de armazenamento de computador, seja um SSD ou um disco rígido. Embora as versões que saem no mercado interno ou via streaming tenham resolução inferior à cópia master e sejam derivadas com qualidade inferior, é necessário preservar o filme em todo o seu esplendor original para lançamentos futuros para que não se perca.

Pila discos duros

O bom de manter os dados em digital é que o material não se degrada, o ruim é que ao trabalhar com dados discretos precisamos de uma grande capacidade de armazenamento e é por isso que filmes antigos, apesar de os recebermos em vídeo compactado codecs para distribuição através de plataformas de streaming ou para venda em disco.

Por exemplo, vamos supor que queremos fazer uma versão digitalizada do Titanic e que foi gravada em filme. É um filme que dura 194 minutos e foi gravado em 35 mm, se fizermos os cálculos pertinentes veremos que cada quadro bruto do referido filme ocupa 25 MB, em um segundo são 24 FPS e poderia ser o dobro se tivesse foram gravadas em estéreo para cinemas 3D que não existiam naquela época. Total que em um segundo você acaba tendo 607 MB de informações ocupadas e um minuto é armazenado em 35.59 GB. Portanto, o filme final em sua versão digitalizada sem perdas em relação ao filme original, acabaria ocupando 7 TB de armazenamento para salvar a informação visual e isso sem contar o áudio.